Secretário de Meio Ambiente vistoriou área verde invadida na cidade de Canela

Uma equipe da Prefeitura de Canela realizou uma ação na tarde desta quarta-feira, dia 15, efetuando uma diligência em uma área verde invadida no município, entre os bairros Santa Marta e Vila Dante. A vistoria foi coordenada pelo secretário de Meio Ambiente, Trânsito e Urbanismo, Paulo Nestor Tomasini, que estava acompanhado pelo diretor do Departamento de Fiscalização, Luiz Antônio Macedo e pelo coordenador do Departamento de Trânsito, Jair Remonti. Na ocasião, os representantes do Executivo conversaram com moradores locais e realizaram um levantamento prévio sobre a situação do loteamento. 
Segundo Paulo Tomasini, a atual Administração Municipal está realizando diversas ações com o objetivo de estancar as invasões em áreas verdes. “Queremos resolver a situação destas pessoas que possuem casas já cadastradas”, ressaltou Tomasini, alertando que a Prefeitura de Canela não permitirá a construção de novas edificações. “Estamos atentos e vamos fiscalizar semanalmente. Já comprovamos que existem casos de pessoas que são beneficiadas com casas populares em outros municípios ou aqui mesmo em Canela, mas acabam vendendo o imóvel e depois tentam conseguir um novo terreno em outra área invadida”, relata o secretário.

LOTEAMENTOS POPULARES 
Devido a grande demanda por moradias populares no município, Paulo Tomasini ressalta que está trabalhando para incentivar a implantação de loteamentos por meio de parcerias com a iniciativa privada. “A nossa intenção é criar cerca de mil moradias populares nos próximos quatro anos, oferecendo toda a estrutura necessária, para que os futuros moradores tenham acesso aos programas de financiamento”, projeta Tomasini.

ASSISTÊNCIA SOCIAL FAZ CADASTRAMENTO
Também nesta quarta-feira, dia 15, a Secretaria de Assistência Social deu início ao trabalho de cadastramento das famílias que residem no loteamento. A ação está sendo coordenada pela secretária adjunta, Andresa da Conceição, juntamente com o diretor administrativo, Artur Pacheco. “Com base neste primeiro dia de levantamentos, projetamos que existam mais de 150 famílias morando naquele local. A intenção é cadastrar todas as residências já construídas, para avaliar uma forma de regularização”, contou Andresa.

Fotos: Rafael Zimmermann