Depositar lixo em local irregular é uma infração ambiental

Os mutirões de limpeza que estão sendo realizados desde o início do ano, por meio de parcerias entre a Administração Municipal e moradores de diversos bairros, já mudaram a realidade de algumas regiões da cidade. No entanto, a falta de conscientização ainda é um problema cultural e muitas pessoas procuram áreas verdes, locais públicos, terrenos particulares e depósitos clandestinos para se desfazer do lixo de forma ilegal. Um exemplo aconteceu no último final de semana, quando foi executada uma limpeza completa nas margens da RS- 476 (estrada Canela-Bom Jesus) em uma ação que contou com a participação de moradores e servidores da Prefeitura de Canela. O mutirão ocorreu no sábado (6) e dois dias depois, na manhã de segunda-feira (8), já havia mais lixo depositado no local.

PONTO CRÍTICO 
Outro ponto crítico é a Rua Gravataí, entre os bairros Vila Maggi e Santa Terezinha, que há muitos anos é utilizada como depósito ilegal de lixo. A Prefeitura de Canela, através das Secretarias de Obras e de Meio Ambiente, já retirou do local desde o início deste ano 12 caçambas de caminhão lotadas de lixo contendo materiais diversos. Apesar do trabalho recente, nesta semana novamente o lixo já estava acumulado no local. O Parque do Lago, uma área de lazer que fica à disposição de toda a comunidade, também sofre com a falta de conscientização ambiental por parte de alguns frequentadores que não utilizam as lixeiras e deixam garrafas, copos e outros materiais descartáveis espalhados pelo chão.

NOTIFICAÇÃO E MULTA
O secretário de Meio Ambiente de Canela, Paulo Tomasini, destaca que o depósito ilegal de lixo, seja em áreas verdes, terrenos públicos ou privados, consiste em infração ambiental sujeita a aplicação de notificação e multa. “A natureza é o grande diferencial da cidade de Canela e pedimos a colaboração dos moradores para a preservação do meio ambiente, que é a nossa principal riqueza”, avalia Tomasini.

Foto: Rafael Zimmermann